Seleção feminina: amistosos nos EUA sem vitórias.

20151025171916_0

Nos últimos dias 22 e 25 de outubro, a seleção feminina de futebol do Brasil participou da “turnê da vitória”, promovida pela seleção norte-americana, atual campeã Mundial da categoria. Segundo informações veiculadas pelo Sportv, a seleção yankee propõe jogos amistosos em diferentes cidades americanas, no intuito de se apresentar à torcida e trazer também a taça de campeã Mundial.

O Brasil feminino realizou uma partida em Seattle no dia 22/10, que terminou empatada em 1×1. No domingo, jogou novamente no Citrus Bowl de Orlando (Flórida), sendo desta vez derrotada por 3×1. O planejamento amparado pela CBF prossegue, algo que anteviu a disputa do último Mundial da categoria em junho, e os jogos Pan Americanos, vencido pelas brasileiras em julho.

Frisamos que as atletas que não possuem vínculo com clubes do futebol europeu ou yankee, seguem em contrato permanente vigente como atletas do Centro Olímpico, bancado pela CBF. O planejamento visa a disputa dos jogos olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro (RJ). No último domingo, o time do treinador Oswaldo “Vadão” Alvarez mostrou-se praticamente o mesmo da conquista do Pan, exceto por uma alteração.

A volante Érika ganhou titularidade na zaga central, preponderando-se à zagueira Mônica. Após o Pan, Érika (e Cristiane) obtiveram vínculo contratual com o francês Paris Saint-Germain. A experiência no futebol europeu, com certeza está pesando a favor de Érika, na seleção deslocada para a zaga.

Na final do Pan vencida contra a Colômbia, Érika foi titular na zaga, uma vez que Mônica se lesionou ao fim da partida da semifinal. Voltando ao amistoso, o time de Vadão demonstrou alguma fragilidade defensiva sim, tendo Érika como titular. O segundo gol yankee surgiu em jogada de bola parada. A linha de quatro defensoras tendo Fabiana/Mônica/Rafaelle/Tamiris mostrou-se seguríssima, tanto no Mundial quanto no Pan Americano.

Os EUA saíram na frente logo no início, com gol da incisiva Alex Morgan, uma das melhores em campo. Marta mandou duas bolas no travessão, mas tanto ela quanto Cristiane mostraram alguma displicência, em tropeços na bola e finalizações de canela. Cristiane empatou para as brasileiras, quase no fim da primeira etapa, com os EUA colocando-se novamente à frente nos acréscimos, no lance descrito no parágrafo acima.

Na segunda etapa, McCaffery ampliou para as yankees aos 34 min, dando números finais à partida. A celebrada meia-atacante Carli Lloyd, autora do gol de placa na final do último Mundial, veio à campo no decorrer da segunda etapa. Lloyd atua com a camisa 10 e demonstra grandes trunfos como capacidade de cadenciar o jogo, e municiar as companheiras de ataque.

O próximo compromisso da seleção feminina será um amistoso em novembro, contra a Nova Zelândia.

Imagem da seleção feminina em Orlando: cbf.com.br