Após os últimos dois amistosos feitos pela seleção de Felipão, contra Austrália e Portugal, o Brasil está a cinco amistosos do Mundial de 2014. Em termos táticos e psicológicos, Felipão parece ter um grupo formado. Em termos táticos porque tem-se um sistema defensivo que começa com Luiz Gustavo como primeiro homem de meio de campo, com a dupla Thiago Silva/David Luiz no miolo de zaga.

As voltas de Maicon e Maxwell mostram o contraponto necessário para a dupla Daniel Alves/Marcelo, sempre presentes até então. Ademais, a temporada 2013/2014 dirá quem estará e quem ficará de fora da copa na questão física.

Aos 32 anos mais fama de baladeiro, Maicon é uma peça superior a Jean ou Marcos Rocha. Se houver a necessidade de atuar em 3-4-3 como em muitos momentos da partida contra a Austrália (vencida por 6×0), Maicon é uma alternativa interessante a Hulk, dotado de vigor físico similar.

Maicon é peça útil se tomado como externo-direito. Tem que estar no grupo também por ter vencido muitos títulos na Internazionale. Na esquerda, Maxwell talvez por ter jogado na Itália (Inter) e Holanda (Ajax) apresente noção defensiva infinitamente superior à de Marcelo. Contra a Austrália o 3-4-3 só foi possível porque com Maicon avançando, Maxwell poderia compor o terceiro homem da linha de três zagueiro, alternando-se a Luiz Gustavo.

Neste sistema defensivo (Júlio César incluso, jogando ou não pelo QPR), tem-se o equilíbrio psicológico. Ali estão os atletas de maior personalidade, vitoriosos no futebol europeu e protagonistas em seus clubes. Daniel Alves, Maxwell, Júlio Cesar, Maicon, David Luiz, Dante e Luiz Gustavo já venceram Champions League.

Contra Portugal o 3×1 não reflete o que a seleção lusitana de fato é. O Brasil foi melhor, mas numa partida valendo e com os lusitanos tendo Cristiano Ronaldo a história seria outra. No primeiro tempo, Paulinho e Ramires pouco avançaram ao contrário de Raul Meireles, que levou perigo cabeceando na trave 5 min antes dele mesmo abrir o placar.

O Brasil precisa atuar mais contra times que jogam no 4-2-3-1 como Portugal. Com Nani e CR7 se revezando na função de “falso centroavante” a dificuldade seria muito maior. Nani ainda inverteu o lado de atuação da esquerda para a direita em diversos momentos.

Por fim, Neymar e Bernard precisam jogar mais contra zagueiros da estirpe brutal da dupla Pepe/Bruno Alves. Os zagueiros não vão aliviar durante a primeira temporada deles na Europa.