Os erros de Rafa Benítez

O Chelsea foi ao Japão jogar o Mundial de Clubes e causou espanto na semifinal contra o mexicano Monterrey. Bateu o adversário por 3×1, com dois gols de Mata e um de Fernando Torres.

Benítez foi enaltecido, postou David Luiz como volante e dispôs um quarteto ofensivo Mata/Oscar/Hazard/Torres, digno que qualquer clube europeu de primeiro nível. Até hoje de manhã, o Chelsea era nitidamente favorito, levando-se em conta o 1×0 aplicado pelo Corinthians em cima do Al Ahly, de forma não lá muito convincente.

Hoje Benítez surpreendeu. Tentou reabilitar o capitão Frank Lampard que voltou de lesão há pouco. E dispôs os blues com Cech, Ivanovic, Cahill, David Luiz e Ashley Cole. Ramires, Lampard, Mata e Hazard. Moses e Fernando Torres. A presença de Victor Moses surpreendeu a maioria dos comentaristas brasileiros.

Mas neste ponto, Benitez NÃO errou. Benítez percebeu que o Corinthians não jogava como um típico time latino-americano. Com um sistema defensivo fechado do alvinegro, era preciso um atacante de força física, algo não reposto pelo Chelsea após a conquista da Champions League. Drogba saiu, Kalou saiu e Malouda treina com o Chelsea B.

Ao postar o capitão Lampard, Oscar deixou o time. Mesmo sem estar na melhor forma, Lampard é mais pesado que Oscar, que é menos experiente que Juan Mata. Lampard era mais apto para um jogo de disposição física. Em entrevista posterior ao jogo, o próprio técnico Tite disse ter percebido a função de lançador de Lampard, responsável pela ‘bola de transição’.

Mata porém, ficou centralizado, perdido entre as duas linhas de 4 jogadores, pouco apareceu e Torres ficava perdido entre Paulo André e Chicão. O camisa 9 não era municiado. O ótimo comentarista Mario Marra da rádio CBN, recortou um dito do próprio Benítez em seu site pessoal, feito no primeiro semestre de 2012, aquele que dizia que Mata não rende centralizado.

Obi Mikel volante de origem atuou contra o Monterrey, mas deu lugar a Ramires. Ramires chegou ao Chelsea por volta de 2009, durante a ‘gestão Carlo Ancelotti’. O técnico italiano inventou Gennaro Gattuso que nos bons tempos saía para o jogo pelo lado direito como Ramires vem fazendo. Mas Ramires nunca foi um marcador como Gattuso. O Chelsea voltou a ficar sem um interditor a frente da defesa.

No primeiro tempo fechado, o Corinthians parecia um time escocês, fechado em 4-4-2 britânico, tendo poucas oportunidades ofensivas e desperdiçando pelo menos três com Emerson Sheik. O Chelsea quase marcou logo no inicio aos 10 minutos, com Cahill onde o goleiro Cassio quase deixa passar a bola por baixo de si. Entre outras coisas o goleiro do Corinthians foi o nome do jogo.

No segundo tempo o Corinthians voltou melhor, demonstrando confiança a partir dos primeiros 15 minutos da segunda etapa. Na realidade, o Corinthians encolhia o Chelsea em seu campo de defesa detendo a posse de bola. Em lance de contra ataque aos 24 minutos Danilo chuta a bola que desvia em Cech que havia se adiantado.

Três defensores blues observam de dentro do gol, a bola cabeceada por Paolo Guerreiro,  entrar. Guerreiro, o atacante mais experiente e decisivo do elenco alvinegro. E Danilo que iniciou a jogada, no segundo tempo foi deslocado pela esquerda, por ordem de Tite que também assumiu a modificação em entrevista pós jogo.

Na esquerda, exatamente nas costas de Ramires começou a jogada do gol alvinegro. Corinthians 1×0 Chelsea. Com passagem pelo FC Bayern, o peruano Guerreiro chegou a enfrentar o Chelsea por volta de 2004, segundo o citado jornalista Mario Marra.

Moses achava jogo pela direita, geralmente nas costas de Fabio Santos, mas saiu para a entrada de Oscar. Talvez Oscar devesse ter entrado no lugar de Torres. Mata iria para a direita e Moses ficaria fixo na área. Após o gol, o Chelsea não conseguia mais jogar, teve Cahill expulso e teve um gol de Torres anulado por impedimento, para além dos quarenta minutos.

Benítez errou. O Corinthians jogava como um time escocês, valendo lembrar que há alguns meses, o Celtic bateu o Barcelona pela Champions League, ostentando 20, 30% de posse de bola. E o Corinthians é campeão Mundial de Clubes de 2012.

Anteriores

Enquanto a final do Mundial de Clubes não acontece…

Próximo

Sorteio dos playoffs da Champions League 2012/2013!

4 Comments

  1. No debate, quero apenas observar uma coisa. Tite não é um técnico que passe do medíocre e o time campeão do mundo, igualmente, é tecnicamente sofrível. Sim, venceu, mas cabe lembrar que Edcarlos e Mineiro foram campeões mundiais tambem com um treinador mediano. Benitez errou e errou feio ao mudar o time do domingo, para a felicidade corintiana. Tivesse escalado o mesmo time da semifinal e o Brasil não teria sido forçado a ver o pior atacante campeão mundial da história (caso alguém se lembre de um pior, favor interceder), Emerson “Sheik”, sair desancando os outros por aí, exatamente como meu antiquissimo polemista de blog Boni dos Santos faz. Times medíocres vencem, como os dois já citados, como o Once Caldas campeão da Libertadores e como o Palmeiras da Copa do Brasil desse ano. Às vezes vencem até times muito melhores, como nos cansamos de ver (bem, basta analisar o ano de 1982 e ver se algum sino badala). No caso, o Corinthians venceu um time menos medíocre, mas em péssima fase. Se Chelsea e Barça jogassem dez vezes, o Chelsea venceria meia. O que significa que a zebra do ano passado ainda zurra e graças a ela a taça de campeão do mundo fica no Parque São Jorge pelo menos um ano. A verdade é que, raramente, muito raramente alguém tem colhão de falar publicamente que time campeão é medíocre, mas isso acontece até com alguma frequencia em jogos eliminatórios (em pontos corridos, JAMAIS). Mas e daí que o Corinthians não é o Barcelona? Quem venceu o Mundial, apesar dos Emersons Sheiks, Tites e Jorges Henriques de um lado e dos Messis, Xavis e Iniestas de outro, foi o Corinthians e não o Barça. Essa foi uma vitória com a cara do clube: sofrida e escrita com sangue e suor. Todo, todo o resto é fanatismo de torcedor, demagogia de mau jornalista e negação. Se o Chelsea foi patético, a culpa é do Chelsea. Ao Corinthians resta a glória do Olimpo. Pelo menos até o ano que vem.

  2. Guest

    Caro, eurocêntrico com certeza, inveja são paulina com certeza não.
    Afinal, cada um assiste o futebol que quer ou que acredita ser melhor.
    Bentiez errou e Tite ao meu ver foi digno de um dos melhores técnicos da
    Europa e aqui, me limitei a escrever sobre os erros do Chelsea. Falo
    sobre o Tite de ontem, exatamente pq não acompanhei toda a gestão dele
    neste periodo atual de Corinthians. Como vc disse, sou ‘eurocêntrico’.
    Agora, sobre a ressurreição do Liverpool em 2005, para mim, Benitez
    agradece muito ao Dida, que falhou nos dois primeiros dos três gols do
    empate red! Benitez é um bom técnico, mas depois de ontem se vê atrás de
    muitos…inclusive do Tite!

  3. Caro, eurocêntrico com certeza, inveja são paulina com certeza não. Afinal, cada um assiste o futebol que quer ou que acredita ser melhor. Bentiez errou e Tite ao meu ver foi digno de um dos melhores técnicos da Europa e aqui, me limitei a escrever sobre os erros do Chelsea. Falo sobre o Tite de ontem, exatamente pq não acompanhei toda a gestão dele neste periodo atual de Corinthians. Como vc disse, sou ‘eurocêntrico’. Agora, sobre a ressurreição do Liverpool em 2005, para mim, Benitez agradece muito ao Dida, que falhou nos dois primeiros dos três gols do empate red! Benitez é um bom técnico, mas depois de ontem se vê atrás de muitos…inclusive do Tite, é freguês dos brasileiros pois também perdeu para o SPFC em 2005!

  4. bonidossantos

    Texto com alto teor de inveja são-paulina. A posse da bola foi 54% Chelsea e 46% Corinthians. Eurocêntricos são sempre assim, quer dizer que o Corinthians não teve mérito, a culpa foi toda do Benitez, ne? como se o Benitez fosse um zé ninguém que não soubesse nada de futebol, até porque levar o Valencia a dois títulos espanhóis e ressuscitar o Liverpool em nivel continental é coisa pra qualquer um né..

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top