‘Os 50 maiores camisas 10 de todos os tempos’.

O 90 Minutos foi presenteado com uma edição de ‘Os 50 maiores camisas 10 de todos os tempos’ do professor de história Renato Andreão que já foi colaborador do site Trivela entre outros. Os ‘50 maiores camisas 10 de todos os tempos’ trás Pelé e Messi estampados em sua capa, possivelmente tidos como o alpha e o ômega da lista. O livro é curto e direto, se por um lado é bom pelo dinamismo, por outro peca por não trazer detalhes mais extensos acerca de camisas 10 mais renomados, obviamente biografados a exaustão. Os boleiros são apresentados pelas décadas de 40 e 50, 60, 70, 80 e 90 do século XX. Antes da seção que apresenta aqueles que vimos na primeira década dos anos 2000.

 

 

Em grande parte a seleção feita por Andreão é interessante, incluindo nomes obscuríssimos como o argentino Sivori (1935-2005) visto nos anos 60 atuando por River Plate, Juventus e Napoli. Na mesma década outro pouco lembrado, ao menos pelos brasileiros, o italiano Giovanni Rivera, ex -Milan e azzurra. Ou mesmo a lenda uruguaia Pedro Rocha que possivelmente são paulino algum da geração atual saiba quem seja. Pedro Rocha é um mito do Morumbi presente no time que perdeu a primeira final de Libertadores disputada pelo São Paulo Futebol Clube em 1974, contra o Independiente da Argentina.

Há algumas escolhas questionáveis ao menos na opinião deste que vos escreve como Edilson, Edmundo ou Diego Forlán, por mais que já tenham atuado com o número 10 nas costas. Edilson e Edmundo por este que vos escreve não vê-los exatamente enquanto meias ofensivos de criação que habitualmente cumprem a função de um dito ‘camisa 10 clássico’. Diego Forlán pela pouca expressividade, apesar da boa aparição no Mundial de 2010, um atléta que não deu certo em Manchester United e Inter de Milão, tendo feito carreira em clubes médios da Espanha não é digno de estar na mesma lista que contém Puskas, Matthaus e Zidane. Por outro lado há também camisas 10 cult dos quais se lembram aqueles que viveram os anos 90 como os italianos Roberto Baggio e Roberto Mancini, o romeno Gheorghe Hagi e o holandês Dennis Bergkamp.

Uma imagem do retratado e uma breve apresentação de uma página acerca do mesmo. Um livro oportuno para consultas rápidas e cuja seleção dos 50 eleitos engloba todos os ‘camisas 10’ de grande importância. Em detrimento das discordâncias deste que vos escreve, se o critério de Andreão era incluir aqueles que usaram uma camisa 10 em algum momento da carreira, o critério se fez ok!

Os 50 maiores camisas 10 de todos os tempos de Renato Andreão. Edição Futebol sem fronteiras. Para adquirir contate o autor em http://www.futebolsemfronteiras.net