Mês: dezembro 2011

Reforma do Morumbi é uma versão fracionada do assalto do Itaquerão

Ainda que nada se compare ao assalto sórdido que foi a construção do estádio do Corinthians/Odebrecht com o apoio das três esferas de poder, num mau-caratismo apartidário que prova que no Brasil, defender um partido contra o outro é sintoma de ingenuidade ou pilantragem, é preciso lembrar que o Morumbi também se beneficiará do banditismo político.

Ler mais

Barcelona x Santos, o jogo

Naquilo que era para ser uma partida ridiculamente alcunhada de “O Jogo do Século”, não houve partida. Nem jogos das primeiras fases da Copa do Brasil, que opõem times grandes a ficções esportivas, o massacre é assim cruel. O Santos e os santistas tiveram uma dimensão da diferença entre os dois times com a partida mais devastadora dos últimos anos. Depois do vexame que o pífio time do Internacional fez diante do Mazembe, o mediano time do Santos se ajoelhou e chorou diante daquele que deve vir a ser o maior time de todos os tempos.

Ler mais

Barcelona x Santos, a imprensa

“Foram muitas as comparações entre Barcelona e Santos, Messi e Neymar. Mas a distância entre eles foi enorme: 4 a 0 e um show”. Este é o abre da matéria do caderno de esportes da Folha de hoje, falando sobre a chacina de Yokohama. O texto simplesmente joga embaixo do tapete uma consideração importante que a imprensa não vai se fazer: foi ela que fez as comparações entre Barcelona e Santos e Messi e Neymar, motivada por incompetência ou interesse. Não seria o caso dela se retratar?

Ler mais

Barcelona x Santos, só Neymar

muitos meses, Neymar ouve que é tão bom quanto Messi. já chegou a ouvir que é tão bom quanto Pelé. É decantado como sendo um jogador capaz de decidir um jogo sozinho e diversas vezes fez isso mesmo (embora contra adversários entre o ridículo e o medíocre). No confronto com Messi, viu o argentino chamar a responsabilidade e decidir enquanto ele mesmo não suportou a pressão. Para a sua carreira, a derrota e o fiasco, apesar de dura, foi a melhor coisa que podia acontecer. Amadurecer invariavelmente dói.

Ler mais

Sobre Cristiano Ronaldo, só para constar

E ainda haverá gente batendo na tecla de com o Cristiano Ronaldo é o craque supremo, mesmo depois da septuagésima sexta amarelada dele num jogo decisivo.

Ler mais

O que pode e o que não será

Não falta gente que ache que o Santos seja um time tão bom quanto o Real Madrid (especialmente entre os que acreditam que o Santos é oito vezes campeão brasileiro). Claro que não pode se tratar de uma avaliação objetiva, mas em futebol, exigir objetividade é quase a mesma coisa que exigir decência dos políticos. Ainda assim, cabe lembrar aos empolgados que, neste ano, o Real Madrid enfrentou o Barça sete vezes e venceu uma. Domingo pode trazer um título ao Santos – sim, pode, porque no futebol, tudo pode acontecer – mas nada tirará do Barça o lugar de melhor time do mundo.

Ler mais

Adeus, Doutor

Num dia em que o Corinthians tem tudo para se sagrar campeão, um de seus maiores ídolos esportivos se despede. Sócrates não jogou menos bola do que nenhum outro corintiano que já tenha pisado sobre a Terra e com a vantagem de ter uma quantidade de caráter que pouquíssimos jogadores de futebol – alvinegros ou não – jamais conseguiu sonhar. É irônico que sua morte aconteça num dia em que a administração de Andrés Sanches, que é a antítese absoluta de Sócrates, se consagre a senhora feudal do futebol brasileiro.

Ler mais

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top