De novo, a Udinese

Já falei aqui da surpresa que me causa a Udinese. Eu achava, antes da temporada começar, que a Udinese faria bem. Tem um bom elenco, o técnico Francesco Guidolin é o melhor intérprete do jogo italiano hoje e o time não tem pressão pelos melhores resultados. Mas a campanha é quase assombrosa. A quatro pontos da campeã Inter, a Udinese tem mais chances de chegar ao título do que Napoli ou Lazio. As razões? As apontadas antes – elenco, técnico e paz de espírito.

O leitor já observou os resultados recentes da Udinese? Nenhuma derrota desde 19/12. Segundo melhor ataque do campeonato (54 gols, um amneos que a Inter). Tem o artilheiro do Italiano (Di Natale) e o jogador que deve ser o mais disputado do próximo verão (Sanchez). mesmo com um sistema absolutamente fora de moda (o 3-5-2), tem o futebol mais eficiente do torneio e se defende bem jogando um futebol ofensivo. É um resultado fenomenal.

O central colombiano Zapata é hoje o zagueiro mais eficiente da Itália. Ele quase não erra passes e tem um aproveitamento de 90% nos desarmes, fazendo pouquíssimas faltas. Só que já tem alguns anos de Itália. A surpresa mesmo da defesa é o marroquino Benatia, que vindo de um time inexpressivo (o Clermont Ferrand), firmou-se como titularíssimo em Udine. Seus números são um pouco piores que os de Zapata, mas são mais do que respeitáveis.

Guidolin foi muito inteligente para montar o time, que começou pessimamente o campeonato (quatro derrotas em sete jogos). se resolveu num meio-campo muito robusto e que não dá pontos de referência na marcação. Os cinco meio-campistas podem iniciar o ataque pois têm bom passe e não são só marcadores. Di Natale e Sanchez sabem voltar para o meio-campo e fechar a marcação mas também buscar a área como centroavantes.Em termos de posicionamento, é o time mais versátil da Itália. Na modorra decadente peninsular, é um alento.

A vantagem sobre Lazio e Napoli é basicamente ambiental. Se a Udinese perder um jogo, o time segue sem pressão.Tem reservas bem aceitáveis para todas as posições (exceto, talvez, no ataque, onde precisa contar com Denis como sobressalente, que tem características completamente diferentes), até porque o time não depende de um nome em especial (de novo, excceção feita ao prodigioso Di Natale). Lazio e Napoli dependem fundamentalmente de alguns nomes (Hernanes, Zárate, Cavani, Lavezzi, Hamsik) e têm treinadores com muito menos recursos que Guidolin. Se você quer ver um time legal no fim de semana, procure um jogo da Udinese.

Anteriores

Observações sobre um jogaço

Próximo

Cartolas, hienas e direitos de TV

3 Comments

  1. Raphael

    A Udinese pratica disparado o melhor futebol da Itália. Um time que como você disse, joga num sistema fora de moda, mas que na prática impressiona pela fluidez de jogo.

    Os meio-campistas todos atacam e defendem com eficiência, a defesa bem armada, a dupla de ataque espetácular, com Di Natale jogando tanto quanto na última temporada, e Sánchez deixando de ser uma promessa firulenta para virar um excelente atacante, rápido, veloz, insinuante e goleador (12 gols na Liga), além de um goleiro que gosto bastante que é Handanovic.

    Quanto ao treinador, se não estiver enganado, foi sob o comando do Guidolin que o Palermo teve seus bons momentos há algumas temporadas atrás, com times que contavam com Grosso, Zaccardo, Barzagli, Amauri e etc.

    E também as 2 temporadas com o Parma, quando conseguiu o acesso para a Série A, e na temporada seguinte com um time sem muito alarde terminou em oitavo lugar.

  2. Rafael Borges

    Enquanto isso a Juventus corre atrás de Mazzarri para o comando técnico. Depois de Delneri, Mazzarri… É de doer…

  3. Boni dos Santos

    sem dúvida essa udinese é até melhor e mais completa que a época do Amoroso e do Bierhoff e pouco depois o Fiore..
    mas o enigma mesmo é Di Natale. Como um jogador estoura no fim da carreira? Antes dos 30 o cara não era nada…IMPRESSIONANTE!!!

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top