A decepção com Tiago Leifert

Eu não me lembro do aparecimento de um apresentador tão interessante no esporte brasileiro como Tiago Leifert. Ele não é só inteligente e talentoso: ele parece antenado com o que acontece e pouco afeito a manter tradições e costumes da TV que é uma mídia sessentona que tem medo de mudar. Por isso, minha decepção com o episódio da CPI-Twitter que o envolveu .

Um preâmbulo: antes de se criticar o apresentador, vamos evitar a hipocrisia e assumir que não se trabalha num meio de comunicação de massa sem se exercer o lado político. O poder exige concessões de princípio mas dá a possibilidade de fazer mudanças relevantes (FHC e Lula certamente sabem disso, por exemplo). Uma denúncia moderada na Globo tem uma reverberação ridiculamente maior do que um alerta escandaloso em uma concorrente. Logo, Leifert não deve ser desmerecido simplesmente porque trabalha numa emissora cuja postura jornalística é questionável.

Contudo, por mais que saiba que ele trabalha numa empresa imensa (da qual seu pai é diretor de relações com o mercado), achei que ele lidou muito, mas muito mal toda a questão envolvendo a (óbvia) pressão das pessoas pela CPI da CBF. Se as pessoas o estivessem hostilizando por uma razão fútil (digamos, o lixo do Big Brother), eu entenderia a frustração dele. Mas a motivação pela pressão é justa e, em muitos dos casos, não foi feita sem educação. Tiago é mais jovem e muito mais talentoso que Galvão Bueno. Perdeu a chance de também ser mais inteligente que o narrador (cuja postura de submissão xiita é notória) ao ceder sem resistir ao sistemático jogo do poder – especialmente porque ele é mais do que um simples funcionário na emissora. Seu maior mérito numa carreira meteórica foi o de estar conectado ao que as pessoas pensam e dizem. No episódio, fez exatamente o contrário.

Anteriores

Boa sacada

Próximo

Uma banana

9 Comments

  1. Raphael

    Ah tá, foi isso que rolou então… Não sabia do ocorrido, procurei ler sobre mas não diziam detalhadamente o que tinha acontecido.

    Bem, era só não ter respondido as pessoas ou responder de maneira educada, mesmo tendo opinião diferente dos seus “seguidores”.

  2. Cassiano Gobbet

    Todo mundo fica indignado com jogar uma casca de banana (que, obviamente é obra de um idiota qualquer), mas acha-se normal que se grite para o Richarlysson que ele é homossexual. Na verdade, é porque se acha mesmo que ser homossexual seja um defeito. Escreverei sobre isso nesta semana.

  3. Cassiano Gobbet

    Mas ele não é jornalista nem tem obrigação de fazer jornalismo. Ele é apresentador. Agora, ele tem obrigação de tratar o público que ele sempre elogiou sem chamá-lo de idiota. abs

  4. Diogo Terra

    Boni, não te tiro a razão. Só que num país com mídia minimamente séria e profissional ele não teria 1% do espaço que tem, né? Isso me irrita. Aqui em casa, TV aberta não tem vez, e quase pus uma amizade de anos a perder por conta disso.

    PS: o Neymar como ser humano tem postura altamente questionável (ao contrário de seu talento). Mas e o infeliz que jogou uma banana no campo? E se isso vira rotina?

  5. Boni dos Santos

    Diogo e Raphael:

    o Milton Neves disse uma vez pra cutucar a ESPN “Canal fechado é igual oxigênio, todo mundo sabe que existe, mas ninguém vê”.

    Isso ta diretamente ligado no que vc escreveu “o pessoal vive reclamando – mas vive assistindo Globo Esporte, Esporte Espetacular e outras escatologias parecidas”.

  6. Diogo Terra

    Foi mais ou menos isso aí, Raphael. É mais fácil para os justiceiros de teclado e monitor cobrar postura do Tiago Leifert do que dos atuais negociadores dos direitos de transmissão. Alguém cobra da Globo? Não, o pessoal vive reclamando – mas vive assistindo Globo Esporte, Esporte Espetacular e outras escatologias parecidas. É como diz o Cassiano sobre o sujeito que vai à igreja, exorciza o Satanás e chega em casa bêbado e bate na mulher e nos filhos.

  7. Raphael

    Desculpem, mas não sei se entendi. Ele deu o tal chilique porque as pessoas estavam cobrando uma postura/opinião dele sobre a questão da CPI da CBF-Globo, é isso?

    Eu particularmente não gosto dele. Acho que é humor demais e jornalismo de menos.

  8. Boni dos Santos

    Pra mim ele não serve. Jornalista de futebol pra mim tem de entender do assunto. Esse negócio de show-man eu não curto, pode ser bom pra 95% da sociedade, pra mim nao serve..

  9. Rafael Borges

    O Globo Esporte e Tiago Leifert foram feitos um para o outro…

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top