A Eredivisie tem menos visibilidade mas é um dos torneios que mais serve de “laboratório” para os grandes europeus acharem talentos.  Quem prestou atenção na temporada  podia saner mais sobre Luis Suárez, Demy De Zeeuw, Ooijer e companhia. Neste ano, mais uma vez um “pequeno” desbancou o trio Ajax-PSV-Feyenoord. O Twente se sagrou campeão pela primeira vez comandado por Steve McClaren, que se recuperou do fiasco na seleção inglesa. E foi duro>: nas últimas 14 rodadas, o Ajax venceu seus jogos e o Twente levou a taça por somente um ponto.

O Craque: RUIZ (Twente)
O costarriquenho era um mero desconhecido quando o Gent, da Bélgica o buscou no glorioso Ajuelense, de seu país natal. Depois de três anos, chegou ao Twente e carregou o time nas costas, sendo escolhido como o melhor jogador da Eredivisie.

O melhor holandês: DE ZEEUW (Ajax)
O volante de 27 anos foi o motor do Ajax na temporada e conquistou respeito no país. Forte e dinâmico e dono de bom passe, deu ao meio-campo consistência e qualidade.

A Promessa: SUAREZ (Ajax)
O uruguaio se transformou nesta temporada no jogador mais cobiçado da Europa que ainda não joga numa grande liga. Foram 44 gols e 20 assistências que elevaram seu preço para cerca de R$80 milhões.

Melhor Brasileiro: DOUGLAS (Twente)
Pela segunda temporada consecutiva, Douglas foi eleito o melhor defensor da Eredivisie. Apesar do seu 1m92, o catarinense de Florianópolis é extremamente rápido para sua altura e também técnico. Segundo seu técnico Steve McClaren, está dando sopa porque está pronto para um grande europeu. Deve ter chance na gestão do próximo treinador da Seleção Brasileira, até porque os holandeses pensam em naturalizá-lo.

Destaque: TWENTE
O clube da pequena Enschede tinha sido vice na temporada anterior e foi considerado um milagre. “O título é mais do que um milagre”, disse McClaren, apontado como o arquiteto da conquista. Sem estrelas e com contratações baratas, o Twente quebrou uma escrita de 54 anos, deixando os três grandes da Holanda sme título por duas temporadas consecutivas.

Decepção: FEYENOOORD
O time de Rotterdam não se sagra campeão há 11 anos e os reflexos são um distanciamento cada vez maior da ponta. O apelido do clube, “Gigante Adormecido”, nunca foi tão merecido quanto agora.

Campeão: Twente
Copa da Holanda: Ajax
Artilheiro: Luis Suárez (Ajax, 35 gols)