Adriano é um erro da Roma

Adriano treina forte em São Paulo, em 2007.

Falar isso para quem assistiu meia dúzia de noticiários neste ano já é um exagero. Adriano, contratado a €5 milhões anuais por três anos é um erro grosseiro da Roma. Não importa que haja cláusulas de A, B ou C, que dêem poderes à Roma de punir o atacante em caso de mau comportamento. O atacante brasileiro é o profissional de primeira classe menos profissional desde Edmundo. E a Roma pagará caro por isso.

Adriano se diz “maduro”. É impressionante que ele não tenha vergonha de dizer isso depois de trocar tapas com a namorada em público, faltar a duas dezenas de treinamentos no Flamengo, atingir o terceiro dígito no peso, ter passado a perna na Inter para se livrar do contrato (porque houvesse uma gota de vergonha, ele teria se oferecido à Inter antes se cobrar nada, fato que, segundo me consta, não aconteceu)…enfim, fatos, não faltam.

É bem verdade que a falta de profissionalismo de Adriano certamente o puniu. Ele não foi à Copa do Mundo e acho difícil que transforme-se como homem para aos 32 anos ter se tornado um jogador exemplar. Mesmo assim, sua chegada à Roma seria um bom negócio por menos da metade do valor anual que ele receberá.

Adriano foi escolhido pela Roma porque Totti não aprovava Toni. Não me consta que houvesse um problema pessoal, mas com Toni em campo, Totti não jogou bem nesta temporada. Totti tem um contrato caríssimo por mais três temporadas e vendê-lo, mesmo a custo zero, é inviável – até por conta de seu papel dentro da história do clube. Toni, que tem um salário altíssimo, era um jogador emprestado e mais fácil de ser deletado.

Com o dinheiro pago a Adriano,era possível pagar pelo menos dois atacantes de bom nível e que estarão treinando todos os dias de manhã, enquanto Adriano será uma incógnita ad infinitum. Não tenho palavras para dizer o quanto lamento. No começo da década, eu via em Alex, Ronaldinho Gaúcho e Adriano um trio capaz de conduzir o Brasil a todos os títulos possíveis. Cada um de uma maneira,foi se enterrando no âmbito seleção. Agora, resta-me acender uma vela por Kaká e ter a ingrata missão de esperar que Robinho amadureça, assim como Adriano, um Peter Pan da bola.

Voltando à Roma, a decisão de contratar Adriano será causa de arrependimento, antes cedo do que tarde. Pelas minhas contas, ele receberá €1.75 milhões já na transferência e poderá adotar seu estilo de vida normal. O único fator que talvez ninguém tenha levado em conta na transação “ixperta” de enrolar a Roma,é Claudio Ranieri. O italiano é um disciplinador. No Valencia, ele que plantou as bases para os sucessos de Cuper (quase sucessos, ok) e Benitez. Para isso, desovou Romário, (m)Ortega e Marcelinho Carioca quando esses ainda jogavam bola. Vejamos o que ocorre agora.



Cassiano Gobbet
Cassiano Gobbet é jornalista, formado pela Universidade de São Paulo e mestre em jornalismo digital pela Bournemouth University.
Top