Uma Sampdoria empolgante

O sucesso da Sampdoria neste sábado está longe de ser uma sorte, coincidência ou fase. O time de Gênova, que na última década viveu tempos difíceis, chegando quase à Série C, trabalhou forte para reorganizar o clube e se vê. A Samp é um dos melhores times da Itália.

José Mourinho teve um oponente à altura neste sábado. Luigi Del Neri, que é muito questionado – especialmente depois de sua passagem fracassadíssima no Porto (não chegou a dirigir o time em nenhuma partida), montou uma Samp com a cara de seu primeiro Chievo: coletiva, valorizando a posse de bola e sempre visando o gol adversário.

Outra característica da excelente Sampdoria é a de não fazer contratações estrambólicas, mas apostar com inteligência nem novos talentos – especialmente italianos.  Jogadores como Pazzini, Poli, Foti e Palombo refletem isso (embora Pazzini tenha sido a contratação mais cara do clube, €12 milhões). Dos 30 jogadores do time profissional, somente quatro são estrangeiros – uma marca quase sem igual na Europa.

A derrota da Inter não é surpreendente. Não há dúvidas de que os “nerazzurri” sejam o melhor time da Itália há anos, mas ser o melhor não significa ser excelente. Times como Genoa e Samp podem sim desbancar o time de Mourinho, que ainda depende demais dos lampejos de criatividade de alguns craques. O time melhorou sensivelmente em relação ao ano passado – inclusive pela diminuição na dependência de um ou dois nomes, mas ainda não é o que Mourinho gostaria que fosse.

Um título de Genova seria muito mais legal e saudável para o futebol italiano do que o penta da Inter ou mais um “scudetto” da Juve. São times formados ao longo dos anos, sem os excessos dos clubes grandes e com projetos a longo prazo. É tudo o que a Itália precisa para voltar a fazer parte da elite do futebol europeu.

Anteriores

Roma a custo zero

Próximo

Um time no caos – II

5 Comments

  1. Gilson

    Não vi a partida, logo fica difícil falar algo. Mas resta saber se no teu texto já não está o destino da Samp nesta temporada (“montou uma Samp com a cara de seu primeiro Chievo”).

    O Chievo inicial teve um primeiro turno espetacular e um segundo que esteve um pouco distante disso.

    Mas acho Del Neri um treinador bem interessante.

  2. Ah, por “período inicial de contrato” entenda-se os 3 anos pelos quais ele assinou.

  3. Cassiano Gobbet

    Não, ele parece ter melhorado…mas vai saber. Está jogando muito bem. Não tivesse o histórico que tem e estaria na seleção, com certeza…

  4. Também gostei da Samp e desgostei da Inter. Também acho que um título em Genova seria mais legal (para o Calcio) do que em Milão ou Turim. Mas isso não vai acontecer. Não no futebol de hoje.
    Falando sobre a Inter, me surpreende a incapacidade de Mourinho fazer esse time jogar quando tem a bola. Em relação aos tempos de R.Mancini, diria que a defesa melhorou, mas o ataque continua muito abaixo do ideal e o meio-campo é acéfalo (Sneijder em campo não mudaria isso tbém).
    Algo me diz que o treinador português, no máximo, cumprirá seu período inicial de contrato. Não mais do que isso.

    Abraço.

  5. Olá carissimo! Espero ver alguma reprise do Samp x Inter. Sobre o ‘efeito Cassano’ nada a declarar? Ou muito pelo contrario ele é parte de um coletivo, algo inusitado pelo histórico de confusões do mesmo no passado?
    abs!

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

Top