Apesar de ser a quarta maior torcida da Itália, e sério candidato a ficar entre os cinco clubes com melhor média de público no campeonato, ninguém espera do Napoli uma contratação de peso para acender a ‘tifoseria’ campana. O ex-clube de Maradona acena com uma campanha para organizar um time que se consolide na divisão máxima.

Falta dinheiro? Não. O presidente do time, Aurelio De Laurentiis, não está passando necessidades (como você pode deduzir pelo sobrenome), só que, ao invés de seguir o caminho de jogar para a torcida, o clube sabe que não vai sair rasgando logo no primeiro ano e então o caminho é se segurar e montar um time para se desenvolver.

A discussão surgiu nos últimos dias por causa de críticas de torcedores a De Laurentiis. O dirigente é acusado de estar com a mão muito fechada e deixando passar oportunidades importantes. “Não precisamos de golpes de cena; queremos um elenco sólido”, disse. As reclamações aumentam também por causa do preço dos ingressos, que subiram em mais de 60%.

Até agora, o Napoli fez duas contratações relevantes: o atacante argentino Lavezzi (do San Lorenzo, ex-Genoa) e do meio-campista tcheco Marek Hamsik. Esses dois e o uruguaio Gargano (que está praticamente assinado com o clube), devem fazer parte do time titular do Napoli para esta temporada.

Mesmo com os reforços no meio-campo, é ali que o Napoli mais precisa de melhorias. O técnico Francesco Reja quer ao menos mais um mediano (queria Nocerino, que acertou com a Juventus) e negocia com Gobbi, Brighi e Blasi. Além disso, o clube tenta Semioli, externo do Chievo e da ‘Azzurra’, mas há uma concorrência feroz da Fiorentina.

Balanço da Série A – parte V

Palermo

Destaque: Amauri (atacante)
Classificação final: 5o lugar (vaga na Copa Uefa)
Resultados na Europa: eliminado na segunda fase (grupos).
Copa Itália: eliminado pela Sampdoria nas oitavas-de-final.

Um empolgante ‘sprint’ no começo da temporada fez todo mundo acreditar que o Palermo poderia vir a ser uma pedra no sapato da Inter em relação ao título. Impulsionado por um super-Amauri, o clube ‘rosanero’ se aplicava em um jogo bem italiano, com um mediano baixo (Corini) que fazia o time sair no contra-ataque bem ao gosto de seu técnico, Francesco Guidolin.

O que ninguém esperava era a contusão do atacante brasileiro. Lesionado nos ligamentos de um dos joelhos, Amauri ficou de molho por quase oito meses e o Palermo despencou de produção, com um Caracciolo muito abaixo do nível do brasileiro. Para piorar, como outros times de Guidolin, o preparo físico priorizava o começo do torneio – e no fim, o Palermo ficou sem fôlego.

Mais uma vez, o presidente Maurizio Zamparini botou os pés pelas mãos, demitiu Guidolin via imprensa e teve de chamá-lo de volta para tentar salvar ao menos a vaga Uefa na reta final. Dado o investimento, o Palermo poderia ter feito mais, mas isso, só se ‘Zampa’ tivesse se comportado.

Parma

Destaque: Giuseppe Rossi (atacante)
Classificação final: 12o lugar
Resultados na Europa: eliminado pelo Braga (POR) na terceira fase.
Copa Itália: eliminado pela Roma nas quartas-de-final.

Quando tudo parecia perdido, o Parma protagonizou um milagre. Ainda sofrendo as conseqüências da quebra da Parmalat, o clube emiliano começou a temporada com pouquíssimos reforços e um treinador inexperiente. Pagou o preço. Terminou o primeiro turno na zona de rebaixamento e chegou a ficar em penúltimo – à frente somente do condenadíssimo Ascoli.

A venda do clube para o empresário Massimo Ghirardi fez com que o clube iniciasse uma reviravolta. Contratações como o empréstimo do atacante Giuseppe Rossi e a chegada do técnico Claudio Ranieri. Foram duas derrotas nos últimos 15 jogos e um futebol que entusiasmou até torcedores de outros times (destaque para uma sensacional vitória por 4 a 3 sobre o Palermo, na Sicília).

Na bacia das almas, o time se salvou e deixou ótima impressão para diversos jovens do elenco parmigiano – como Dessena, Cigarini e Paponi. A esperança da torcida neste começo de temporada é a de ver o humorista Gene Gnocchi estrear pelo time. Gnocchi, de 52 anos, foi contratado como “jogador” para elevar o moral do elenco nas últimas partidas. Pelo visto, ajudou.

Reggina

Destaque: Rolando Bianchi (atacante)
Classificação final: 14o lugar
Resultados na Europa: não participou.
Copa Itália: eliminada pelo Chievo nas oitavas-de-final.

Na memória de Reggio Calabria, a campanha de 2006/7 ficará para sempre. Mesmo com uma punição de 11 pontos, a Reggina conseguiu se salvar numa campanha primorosa, que revelou o atacante Bianchi definitivamente para o futebol italiano – ou talvez inglês, já que ele foi comprado pelo Manchester City de Sven Goran Eriksson.

O arquiteto da campanha calabresa foi o técnico Walter Mazzarri, que valorizado pelo trabalho, foi para a Swampdoria. Mazzarri promoveu um futebol bastante ofensivo, mas que se cuidava na retaguarda. Num elenco justo, a Reggina raramente mudava a escalação. Além de Bianchi, também Foggia e Mesto (ambos vendidos) se destacaram. Como se vê, o grande número de cessões dos principais atletas, o torcedor da Reggina pode começar a se preocupar.

Curtas

– Cerca de 50 jogadores desempregados na Itália vão para uma pré-temporada no CT de Coverciano, numa iniciativa do sindicato de jogadores. Eles enfrentarão equipes amadoras em vários amistosos (foram divididos em três times) para tentar arrumar algum contrato.

– O Napoli entrou na disputa com o Parma para ter o atacante Giuseppe Rossi. Aurelio De Laurentiis, presidente do clube partenopeu, estaria disposto a pagar cerca de €12 milhões ao Manchester United para ter o titular da ‘Azzurra’ Sub-21.

– Depois de anos de “separação”, a Série A voltará a ser toda ela transmitida pela Sky. A empresa mediática de Rupert Murdoch garantiu contratos com os 20 clubes da primeira divisão, que começa no dia 25 de agosto.

– A Federcalcio terá uma Procuradoria conjunta com poderes ampliados para fazer investigações no esporte. Stefano Palazzi, um dos procuradores envolvidos na apuração do ‘Calciocaos’, será o encarregado da nova entidade.

– O Siena apresentará nesta terça-feira o atacante argentino Carignano, contratado junto ao Basiléia (SUI). Além dele, o clube toscano está para acertar com outro avante, Graziano Pellé, do Lecce, que deve substitui-lo com Abbruscato (Torino).

– Na Atalanta, se complicaram as chegadas de Tacchinardi (ex-Juventus) e Rinaudo (Palermo). Floccari (Messina) e Degano (Piacenza) interessam, enquanto Lazzari deve ir para o Grosseto.