Exceção feita aos interistas que comemoraram um título nacional esperado por 18 anos, a rodada do final de semana na Itália teve vários resultados importantes para os diferentes objetivos que os clubes perseguem. E tirando o título, como já dissemos, todo o resto está bem embolado.

A luta mais importante, sob o ponto de vista econômico e de prestígio, está praticamente definida. Para a Liga dos Campeões devem ir Inter, Roma, Lazio e Milan. Os dois primeiros nas duas primeiras colocações, mas os dois últimos ainda podem se inverter, dada a diminuição de ritmo da Lazio e à melhora do Milan. Na prática quem acabou sendo ejetado da briga, como se esperava, foram Palermo e Empoli, agora definitivamente brigando por uma vaga européia de menor destaque, na Copa Uefa.

A vitória do Milan teve um Ronaldo em grandíssimo estilo. Com dois gols no estilo ‘peladeiro’, Ronaldo se demonstrou o ‘boost’ que o Milan precisava. A vitória em cima do Cagliari por 3 a1 foi uma prova de força para quem estava em dúvida em relação ao posicionamento em “zona LC”. Nos seus 12 primeiros jogos em ‘rossonero’, Ronaldo já fez sete gols e seis assistências.

A Lazio, que já esteve numa posição bem folgada, perdeu para a Fiorentina e ainda que em terceiro, viu a sua fase devastadora do segundo turno dar uma freada. Com uma defesa redesenhada (só Peruzzi e Siviglia dos titulares), além das ausências de Mauri e Pandev (só entrou depois do gol da Fiorentina), a Lazio até chutou mais a gol (14 contra 8), mas se rendeu a uma equipe mais equilibrada. Ainda assim, a marcha lenta não deve tirar do time de Formello a vaga na LC.

Corrida Uefa

A competição por uma vaga na ‘segunda divisão européia’, a Copa Uefa, ao contrário da corrida LC, está bem aberta. Empoli (50 pontos), Palermo (49), Fiorentina (47), Udinese (43), Atalanta e Sampdoria (ambos com 42) ainda têm fôlego para lutar, embora alguns estejam com mais gás que outros.

O Palermo, por exemplo, que chegou a ser cotado ao título em outubro, vem numa franca descendente e não vence desde o início de fevereiro (Catania 1 x 2 Palermo), 11 jogos atrás. Já ultrapassado por um surpreendente Empoli, o time siciliano deve ferver mais nesta semana após perder em casa para um Parma muito interessante. Os toscanos, mesmo com um empate sem graça com o Torino, seguem fortes rumo à vaga.

Dentre todos os candidatos à vaga Uefa, a Fiorentina é o que pode tirar mais coelhos da cartola. Com um elenco grande e cheio de jogadores capazes de fazer a diferença (Toni, Mutu, Montolivo, Pazzini), o time de Cesare Prandelli só tropeçou no Parma nos últimos 14 jogos. No Olímpico, a Fiorentina não atuou melhor que a Lazio, mas conseguiu capitalizar em uma das duas bolas chutadas em gol.

Uma terceira vaga pode acabar beneficiando a Sampdoria, que está atrás nessa batalha no campeonato, mas foi semifinalista da Copa Itália. Como Milan, Roma e Inter (os outros semifinalistas) todos têm vaga na Liga dos Campeões, o clube lígure seria o beneficiado com a vaga concedida pela copa nacional.

Os outros concorrentes à colocação Uefa, Atalanta e Udinese, também têm condições de dar trabalho, mas até aqui, não deram nenhum indício de que um ‘sprint final’ esteja por vir. Resta uma esperança para a Intertoto. Contudo, essa que é a terceira divisão européia, nem sempre atrai os clubes, pois exige que a preparação física se inicie muito cedo – o que pode ter seu preço no fim da temporada.

Fuga rebaixamento

Agora, a verdadeira briga de foice do Italiano está na parte de baixo da tabela. Messina e Ascoli já estão rebaixados (talvez não matematicamente, mas falta pouco). Agora, entre o 18o (Reggina) e o 11o (Livorno) colocados, a diferença é de cinco pontos. Verdade que o Catania tem um jogo a menos, mas a atual forma dos “Etnei” não empolga.

Entre os que lutam para não cair, o Parma é o que tem apresentado a forma mais espetacular das últimas rodadas. Com 17 pontos nas últimas dez partidas (sendo três vitórias nas últimas quatro), o técnico Claudio Ranieri provou que tem mesmo recursos para reverter a tendência que levava o Parma à degola. Com um brilhante 4 a 3 em Palermo, o clube ‘crociato’ saiu da zona do rebaixamento, onde tinha ficado por todo o segundo turno.

A Reggina, outra esquadra que luta contra a queda, também segue valente, não obstante a punição de 11 pontos por causa de ‘Moggiopoli’. O empate desta 33a rodada contra a Udinese não foi muito bom, mas a próxima jornada leva os calabreses a Ascoli para pegar o lanterna absoluto, enquanto o Chievo viaja para jogar com a Fiorentina, o Catania vai a Udine e o Parma recebe Cagliari. Todas as rodadas restantes do Italiano têm pelo menos um confronto direto entre clubes fugindo do rebaixamento. Certamente, aguarda-se emoção.

Para subir da B

Por fim, a emoção do Italiano também escoou para a Série B. Além da Juventus, cada vez mais próxima de sua promoção, também o Napoli encostou na ponta da tabela, chegando a ultrapassar o Genoa.

Numa virada sensacional (com um gol de antologia de Trotta), o Napoli recuperou um jogo que parecia perdido para o modesto Frosinone. Chegando a 62 pontos (um a mais do que o Genoa), o Napoli vai para a próxima rodada para receber em casa um adversário abordável (o Cesena) enquanto o Bologna viaja a Lecce e o Genoa recebe o Treviso.

Finalmente, campeã

E como tudo levava a crer, depois de 33 rodadas (cinco antes do final) a Internazionale conseguiu uma vitória sobre o Siena (mais dura do que o previsto) e ajudada por uma derrota da Roma, levantou, 18 anos depois, o seu 15o ‘scudetto’, vencido no campo e mais do que justamente. Como de praxe, na próxima semana, a Trivela traz uma análise da Inter que venceu a Série A, com virtudes e defeitos, elenco, tática e legado.

– E, sem surpresa nenhuma, o dono do Palermo demitiu o técnico Francesco Guidolin depois da derrota palermitana ao Parma.

– Zamparini, que também foi dono do Venezia entre 1987 e 2002, chegou à marca de 20 treinadores demitidos entre os 15 anos no comando do clube vêneto e mais cinco no siciliano.

– Entre os demitidos, estão nomes de competência, como Cesare Prandelli (hoje na Fiorentina), Luciano Spalletti (Roma), Alberto Zaccheroni (campeão no Milan em 1999), Luigi Del Neri (Chievo), Daniele Arrigoni e Silvio Baldini.

– Esta é a seleção Trivela da 33a rodada:

– Squizzi (Chievo); Cafu (Milan), Diakité (Lazio), Negro (Siena) e Ziegler (Sampdoria); Gattuso (Milan) Buscé (Empoli), Doni (Atalanta) e Gasbarroni (Parma); Ronaldo (Milan) e Suazo (Cagliari)