Sim, a coluna desta semana emana um ar bíblico. O evento que justifica o título semi-sacro é a escolha do técnico Marcello Lippi. No último sábado, Lippi anunciou a lista dos 29 jogadores que participarão do ‘estágio’ de dois dias na concentração ‘Azzurra’ e de onde sairá a lista final dos italianos que seguem para a Alemanha.

Não há nenhum nome que se possa chamar de surpresa – nem nenhuma ausência. Os nomes que geraram mais comentário foram a inclusão do milanista Filippo Inzaghi e as exclusões de Christian Vieri e Antonio Cassano – todos absolutamente dentro do esperado.

‘Pippo’ Inzaghi ganhou sua convocação com uma forma impressionante. Dois anos depois de sua última chamada, ainda antes da Eurocopa, Inzaghi arrastou o Milan à cola da Juventus. Está no seu auge e Lippi, que trabalhou longamente com ele na Juventus, sabe que não se renega um atacante nessas condições.

Os destinos de Cassano e Vieri eram igualmente aguardados. Desde que chegou a Madri, Cassano ficou mais famoso pelo seu apetite por doces e frituras do que pelo seu futebol. Lippi já tinha advertido que não chamaria um jogador que não estivesse jogando. Quanto à Vieri, Lippi não teria como levá-lo nem que relevasse a sua péssim temporada. ‘Bobo’ dificilmente estará em forma na estréia do Mundial.

De resto, tudo normal. O fiorentino Gamberini ganhou sua chamada, mas é zebra e os outros menos habituados à camisa azul, como Espósito (Cagliari) e Iaquinta (Udinese) só vão para a Alemanha se impressionarem no estágio. Estágio, aliás, que nada mais é do que uma oportunidade para Lippi falar com todos ao mesmo tempo, pois o técnico de Viareggio não descobrirá como cada um joga em 48 horas.

Os mais cotados são…

Na lista de Lippi, não estão nem interistas nem romanistas, ainda envolvidos na final da Copa Itália. Os quatro jogadores – Materazzi (Inter), Totti, De Rossi e Perrotta (Roma) são prováveis presenças na lista final, embora valha perguntar se a Itália perde alguma coisa sem Materazzi.

Buffon é nome certo no gol. A dúvida de Lippi é se ele deve levar um veterano como Peruzzi (Lazio) ou dar rodagem a dois nomes com provável futuro azul – Amelia (Livorno) ou De Sanctis (Udinese). Tudo indica que Lippi não deve arriscar, levando seu velho conhecido Peruzzi e De Sanctis, com Amélia ficando de fora. Mas nenhuma exclusão seria surpresa – exceto a de Buffon.

Entre os defensores, Barzagli e Grosso (Palermo); Cannavaro e Zambrotta (Juventus); Nesta (Milan) e Oddo (Lazio) estão seguros. Boner, Zaccardo e Pasqual correm por fora e Gamberini é zebra. Vale dizer também que o estágio também serve para Lippi fazer a sua lista de suplentes. Caso alguém se machuque na preparação – e alguém sempre se machuca – o técnico já sabe o que fazer.

No meio-campo, tem passagem segura os milanistas Gattuso e Pirlo, o juventino Camoranesi e o palermitano Barone, além do romanista De Rossi. Perrotta (Roma) e Marchionni (Parma) têm grandes chances. Liverani, Semioli e Esposito querem roer a corda dos seguros. Claro, além de Totti, que só não vai se não se recuperar fisicamente.

A grande dor de cabeça de Lippi é no ataque. Mas uma dor de cabeça “boa”. Certos: Del Piero (Juventus), Toni (Fiorentina) e Gilardino (Milan). Inzaghi é uma convocação obrigatória, mas pesa contra ele o fato de não ter jogado nenhuma vez com Lippi. Iaquinta, Tavano e Lucarelli têm chances similares, mas não têm a reputação necessária para garantirem uma vaga.

Os “escolhidos”:

Goleiros: Amelia (Livorno), Buffon (Juventus), De Sanctis (Udinese) e Peruzzi (Lazio)

Defensores: Barzagli, Grosso e Zaccardo (Palermo), Bonera (Parma), Cannavaro e Zambrotta (Juventus), Gamberini e Pasqual (Fiorentina), Nesta (Milan) e Oddo (Lazio).

Meio-campistas: Barone (Palermo), Camoranesi (Juventus), Esposito (Cagliari), Gattuso e Pirlo (Milan), Liverani (Lazio), Marchionni (Parma) e Semioli (Chievo).

Atacantes: Del Piero (Juventus), Gilardino e Inzaghi (Milan), Iaquinta (Udinese), Lucarelli (Livorno), Tavano (Empoli) e Toni (Fiorentina).

A pressão continua

A Juventus mostrou que ainda é Juventus. E depois de mais de um mês de futebol miserável, bateu o Siena em oito minutos, com um 3 a 0 que prova que o campeonato ainda está em suas mãos. Mas graças a Filippo Inzaghi, a pressão milanista continua.

Fabio Capello conseguiu recuperar nomes-chave do time, como Vieira, Camoranesi, Del Piero e Trezeguet. A Juve comandou o jogo sem segredos e tal era a diferença física para as partidas anteriores que parecia que os juventinos tinham tomado um elixir mágico. Não que os piemonteses corressem mais do que o normal, mas simplesmente voltaram a correr como fizeram durante todo o campeonato.

O calendário da Juve agora tem Palermo e Reggina. A viagem a Palermo é perigosa, pois o time siciliano ainda tem chances de classificação para a Copa da Uefa. Dependendo de como os resultados andarem na penúltima rodada, o caldo pode engrossar para a campeã. Contra a Reggina, só um tropeço “clamoroso”, como diz o mestre Cláudio Carsughi. Mas no futebol tais tropeços acontecem.

Em Milão, a desclassificação européia colocou o time totalmente focado numa perseguição dificílima. Mas enquanto houver esperança, o Milan deve manter o pique. Pelo menos é o que tem mostrado nas últimas rodadas: além de ter vários jogadores em forma, também mostra um time com muito fôlego.

O calendário do Milan é mais duro do que o da Juventus. Primeiro, porque pega a Roma na última rodada e segundo porque tem de ganhar as duas e torcer para a Juventus perder uma ou empatar duas. Campeonato ainda aberto, mas a bola voltou para as mãos da atual campeã.

Rebaixamento definido: é o Messina

Depois dos falecimentos de Treviso e Lecce, neste final de semana o caixão do Messina também foi fechado. Nada de surpreendente, uma vez que o clube por muito pouco não deixou de disputar a Série A desta ano em virtude de problemas financeiros.

O detalhe mórbido da coisa foi o fato do rebaixamento vir pelas mãos da rival Reggina, adversária local, com quem faz o “Derby do Estreito”, referência geográfica ao Estreito de Messina, que separa a cidade siciliana da calabresa. Mais uma vez o sul do país pagou a conta no rebaixamento com dois dos três clubes que descem de divisão.

Na briga pelas três vagas na próxima Série A, Atalanta e Catania têm tudo nas mãos. O time bergamasco precisa de uma vitória nas últimas quatro partidas para confirmar o acesso. Meia dúzia de outros times ainda têm chances, mas a última vaga deve ficar com Torino, Mantova ou Cesena.

– O estágio da Azzurra acontece nos dias 2 e 3 de maio, no Centro Sportivo da Borghesiana, em Roma.

– Ancelotti confirmou todo o elenco milanista, exceto Stam (acertado com o Ajax) e Simic (indisposto com o técnico).

– O Milan deve repatriar Foggia, do Ascoli (que já pertence ao clube) e provavelmente tentar Oddo, da Lazio.

– E esta é a seleção da 36ª rodada da Série A:

– Buffon (Juventus); Buscé (Empoli), Panucci (Roma) e Siviglia (Lazio); Jankulovski (Milan), Dacourt (Roma), Vieira (Juventus), Cozza (Reggina) e Foggia (Ascoli); Amoruso (Reggina) e Inzaghi (Milan)